10 Encontro » Sobre






Encontro Nacional dos Pesquisadores em Jornalismo

O Encontro Nacional dos Pesquisadores em Jornalismo, que ocorre anualmente desde 2003, constitui-se em um destacado fórum para apresentação e debate das pesquisas sobre Jornalismo desenvolvidas nos programas de pós-graduação, nas universidades e nos institutos de pesquisa do Brasil, atraindo contribuições do exterior. Promovido pela Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor), fundada durante o congresso de Brasília em 2003, com a presença de 130 pesquisadores, o encontro congrega especialistas – brasileiros e estrangeiros – de diferentes campos do conhecimento que têm o Jornalismo como objeto de investigação.

 

Encontro de Jovens Pesquisadores em Jornalismo

O JPJor teve início no 9º SBPJor, que ocorreu no Rio de Janeiro, na sede da ECO-UFRJ. O JPJor foi criado com o objetivo de qualificar e dar visibilidade à pesquisa em graduação em cursos de jornalismo ou outros cursos de graduação que tenham os temas do jornalismo como objeto de estudo. As pesquisas apresentadas no JPJor são oriundas de projetos de Iniciação Científica (IC), Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) ou trabalhos disciplinares.

 

Prêmio Adelmo Genro Filho de Pesquisa em Jornalismo

O Prêmio Adelmo Genro Filho de Pesquisa em Jornalismo foi criado pela Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo em 2004 e se destina a reconhecer a qualidade do trabalho acadêmico realizado nas universidades ou nos centros/institutos de pesquisa, valorizando a atuação individual dos pesquisadores. Sua finalidade é identificar anualmente quais os pesquisadores que apresentaram contribuições relevantes para o campo da pesquisa em jornalismo, de modo a construir/consolidar a identidade do nosso campo científico.

As Comissões Julgadoras de cada uma das categorias do Prêmio Adelmo Genro Filho de Pesquisa em Jornalismo, com exceção da categoria Sênior – que será julgada pela diretoria executiva e pelo conselho científico da SBPJor -, são compostas por 5 (cinco) membros designados pelo Coordenador da premiação, em sintonia com a direção científica da entidade, sendo (quatro) membros entre os sócios plenos (doutores) da entidade, e o quinto membro escolhido entre os integrantes do Conselho Cientifico da SBPJor. A Comissão Julgadora deliberará pelo voto da maioria de seus membros. As Comissões serão presididas pelos respectivos representantes do Conselho Científico da SBPJor. O Presidente da Comissão, além de seu voto, terá o voto de qualidade.

O prêmio, criado em 2004, teve já em sua segunda edição, em 2007, 30 trabalhos de 24 instituições diferentes inscritos nas diversas categorias, julgados por comissões formadas por sócios plenos e por membros do Conselho Científico da SBPJOR . Na categoria sênior, a indicação ficou por conta dos associados e a escolha, sob responsabilidade do Conselho Científico e da Diretoria Executiva.

Conheça as Categorias:
Iniciação Científica: premiará melhor pesquisa em iniciação científica no campo do jornalismo;
Mestrado :premiará a melhor dissertação de mestrado no campo do jornalismo;
Doutorado: premiará a melhor tese de doutorado no campo do jornalismo;
Sênior: premiará o pesquisador pela sua trajetória e pela contribuição para consolidar o jornalismo como área científica

 

Prêmio Adelmo Genro Filho 2012

Graça Caldas, Frederico de Mello Brandão Tavares, Juliana Fernandes Teixeira e Carina Mersoni são os vencedores da sétima edição do Prêmio Adelmo Genro Filho (PAGF), concedido anualmente pela SBPJor, Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo. Giovanna Gertrudes Benedetto Flores, Géssica Gabrieli Valentini e Tiago Schmidt Miotto receberam menção honrosa, nas categorias doutorado, mestrado e Iniciação Científica.

O trabalho de julgamento de um total de 55 trabalhos inscritos envolveu três comissões julgadoras, uma por categoria, coordenadas pelo professor Leonal Aguiar (PUC-Rio). Todo o processo de avaliação foi realizado de maneira cega, isso é, sem a identificação dos concorrentes.

O rigoroso processo de julgamento teve um saldo muito positivo, segundo o coordenador do prêmio, Leonel Aguiar: “A qualidade acadêmica e a potência teórica tanto dos trabalhos vencedores quanto dos que receberam indicação para menção honrosa nas três categorias demonstram que a pesquisa em jornalismo avançou e se consolidou no país. Simultaneamente a potencialização da qualidade, tivemos um aumento do número de inscritos, com destaque para a pesquisa em jornalismo também na graduação”.

 

Categoria doutorado

A tese premiada é Ser revista e viver bem: um estudo de jornalismo a partir de Vida Simples, de Frederico de Mello Brandão Tavares. O doutorado do autor foi realizado no Programa de Pós-graduação em Ciências da Comunicação a Universidade do Vale dos Sinos (Unisinos), sob orientação de Christa Berger.

A comissão julgadora da categoria doutorado, composta pelos pesquisadores Bruno Souza Leal (UFMG), Raquel Paiva (UFRJ) e Ronaldo Henn (Unisinos), atribuiu menção honrosa ao trabalho de Giovanna Gertrudes Benedetto Flores. A tese Os sentidos de nação, liberdade e independência na imprensa brasileira (1821 – 1822) e a fundação do discurso jornalístico brasileiro foi defendida no Instituto de Estudos da Linguagem/Doutorado em Linguística da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), sob orientação de Cláudia Regina Castellanos Pfeiffer.

 

Mestrado e Iniciação Científica

Na categoria mestrado, a vencedora foi Juliana Fernandes Teixeira com o trabalho Webjornalismo audiovisual universitário no Brasil: um estudo dos casos TV UVA, TV UERJ e TJ UFRJ (2001 – 2010). A dissertação premiada foi orientada pelo professor Elias Machado, e defendida no Programa de Pós-graduação em Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina.

Integrada por Alfredo Vizeu (UFPE), Juciano Lacerda e Carla Schwingel (Mackenzie), a Comissão avaliou um total de 19 dissertações. A menção honrosa, categoria mestrado, foi atribuída a A liberdade para apurar os sentidos do mundo: a produção de reportagem na revista piauí, de Géssica Gabrieli Valentini (PosJor UFSC, orientador Jorge Kanehide Ijuim.

Com o maior número de trabalho inscritos, a categoria iniciação científica acolheu trabalhos de estudantes de graduação e jornalistas recém-formados. Ana Regina Rêgo (UFPI), Hebe Gonçalves (UEPG) e Liliane Machado (UnB) foram responsáveis pela avaliação de 28 trabalhos. O escolhido como vencedor foi a pesquisa Fotojornalismo na imprensa tradicional e popular: as linguagens fotográficas dos jornais Zero Hora e Diário Gaúcho, desenvolvida por Carina Mersoni no curso de Jornalismo da Unisinos (orientadora Beatriz Sallet).

Também na categoria iniciação científica a Comissão julgadora optou por conceder menção honrosa, a Tiago Schmidt Miotto pelo trabalho Liberdade de imprensa e Wikileaks: uma análise do discurso da revista Época A pesquisa foi desenvolvida na Universidade Federal de Santa Maria sob orientação da professora Ada Cristina Machado da Silveira.

 

Pesquisadora Sênior

Graça Caldas, premiada na categoria sênior, foi indicada pela diretoria e Conselho Científico da SBPJor, pela sua contribuição à pesquisa em Jornalismo. Jornalista desde 1969, (graduação em Comunicação Social/UFRJ) ela atuou em vários veículos de comunicação, entre eles, Diário de Notícias e TV Globo (Rio de Janeiro), Folha de S. Paulo e Jornal do Brasil (São Paulo), e ainda nas assessorias de imprensa da Prefeitura de Campinas e da UNICAMP.

Doutora em Ciências da Comunicação pela ECA/USP (1995) e mestre em Comunicação Científica e Tecnológica pela Umesp (1988), Graça Caldas é ainda especialista em Jornalismo Científico e Comunicação Integrada. Foi professora-pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Universidade Metodista de São Paulo (UMESP) onde orientou trabalhos de Conclusão de Curso (Graduação), Lato Sensu, Mestrado (18) e Doutorado (10) na área de Divulgação Científica e Políticas Públicas de Comunicação e Ciência e Tecnoligia. Na mesma instituição, coordenou o curso de Jornalismo e dirigiu a Faculdade de Jornalismo e Relações Públicas (1997-2010). Foi ainda diretora acadêmica e também administrativa da Associação Brasileira de Jornalismo Científico (ABJC).

 

Premiação

A solenidade de entrega do prêmio Adelmo Genro Filho está marcada para a noite de 08 de novembro, como parte da programação do 10° Encontro de Pesquisadores em Jornalismo e do II JPJor, que serão realizados em Curitiba, na PUC-PR.

 

A coordenação do PAGF 2012 está sob responsabilidade do Prof. Dr. Leonel Aguiar (PUCRIO). Com um total de 55 inscrições homologadas, a sétima edição do Prêmio Adelmo Genro Filho mobiliza pesquisadores de jornalismo de diferentes estados, instituições. O trabalho das comissões julgadoras envolve a avaliação de trabalhos em três categorias: TCC/ Iniciação Científica; Dissertações de Mestrado e Teses de Doutorado.

A categoria com maior número de inscritos é a destinada aos jornalistas recém-formados e alunos de graduação. Os 28 trabalhos em avaliação demonstram que a pesquisa em Jornalismo cresce entre os jovens investigadores; em 2012 o II JPJor também registrou número recorde de inscrições.

Os dados de inscrições do Prêmio Adelmo Genro Filho 2012 também revelam a presença do Jornalismo na pós-graduação: 19 dissertações e oito teses, todas defendidas apenas no último ano. Além do melhor trabalho de Iniciação Científica e das melhores dissertação e tese em Jornalismo, o Prêmio Adelmo Genro Filho (link para o vídeo com o Adelmo do canal web) também é concedido a pesquisadores sênior, que em sua trajetória contribuíram para a consolidação da pesquisa em Jornalismo. Entre os premiados estão: Christa Berger; Marcos Palácios; José Marques de Melo; Muniz Sodré e Luiz Gonzaga Motta.

A entrega do Prêmio Adelmo Genro Filho 2012 integra a programação do 10° Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo, que será realizado de 8 a 10 de novembro em Curitiba.

Confira  os premiados do PAGF desde a primeira edição do Prêmio:

2006: http://www.sbpjor.org.br/sbpjor/?page_id=345
2007: http://www.sbpjor.org.br/sbpjor/?page_id=349
2008: http://www.sbpjor.org.br/sbpjor/?page_id=355
2009: http://www.sbpjor.org.br/sbpjor/?page_id=10054
2010: http://www.sbpjor.org.br/sbpjor/?page_id=11060
2011: http://www.sbpjor.org.br/sbpjor/?page_id=11153

 

PUCPR

O evento será sediado na sede da PUCPR, em Curitiba. A PUCPR é a co-realizadora do evento, com SBPJor, em parceria com a UFPR e a UTP. A Pontifícia Universidade Católica do Paraná tem o curso de Comunicação Social nas habilitações Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Relações Públicas. Em Jornalismo, oferece o curso nos turnos da manhã e noite. Em funcionamento desde 1988, conta com um laboratório de Comunicação Social que é referência no estado. A partir de 2012, foi criada a Escola de Comunicação e Artes, na instituição, da qual Jornalismo passou a fazer parte. São 321 alunos matriculados, sendo 184 no turno da manhã e 137, à noite. O curso tem uma revista científica – Revista de Estudos da Comunicação, que está no 13º ano de funcionamento.

 

UTP

Parceiro na organização do evento, o Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Linguagens da Universidade Tuiuti do Paraná (PPGCOM- UTP), aprovado com nota 4 pela Capes – Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível Supeiror, compreende os níveis de Mestrado (2000) e Doutorado (2010), articulados em uma única área de concentração – Processos Comunicacionais – e em duas linhas de pesquisa – Processos mediáticos e práticas comunicacionais e Estudos de Cinema.Atualmente, a UTP, possui 150 estudantes (graduação em jornalismo e pós-graduação). Desde a sua criação, já formou mais de 150 mestres, que atuam hoje em instituições públicas e privadas no Estado do Paraná e de várias regiões do país.

 

PPGCOM- UTP

Também desenvolve pesquisas em jornalismo. Ao apoiar a SBPJor, conjuntamente com a PUCPR e UFPR, alunos e professores da graduação e pós-graduação da Universidade Tuiuti do Paraná acreditam que estão dando um passo importante para estreitar relações com instituições que também buscam o desenvolvimento da pesquisa em jornalismo.

 

UFPR

Também parceiro na organização do evento, o Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCom), que integra o Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal do Paraná (UFPR), foi criado em 2009, para oferecer inicialmente o curso de Mestrado em Comunicação Social, com área de concentração em Comunicação e Sociedade. Com sua terceira turma matriculada em 2012, o PPGCom/UFPR oferece duas linhas de pesquisa: 1) Comunicação, Educação e Formações Socioculturais e 2) Comunicação, Política e Atores Coletivos. A revista Ação Midiática – Estudos em Comunicação, Sociedade e Cultura é a revista científica on line do Programa, com periodicidade semestral No endereço eletrônico http://www.humanas.ufpr.br/portal/comunicacaomestrado/encontram-se todos os detalhes sobre o programa; estrutura administrativa e curricular, docentes e discentes, disciplinas, documentos e processo seletivo. Atualmente, a UFPR possui cerca de 146 estudantes de graduação em Jornalismo e 29 estudantes de pós-graduação em Comunicação.