Sistema de Conferências da SBPJor, 7º Encontro do JPJor

Tamanho da fonte: 
A adoção tardia na mídia: uma análise da cobertura jornalística em revistas brasileiras
André de Paiva Bertolucci, Ana Cristina Salviato-Silva

Última alteração: 2017-09-09

Resumo


 

Resumo: Estudos apontam que há um considerável contingente de crianças maiores de dois anos e adolescentes vivendo nas instituições de amparo ao menor espalhadas pelo Brasil. Estes, embora disponibilizados para adoção, nem sempre conseguem uma família substituta, uma vez que a maioria dos adotantes ainda prefere bebês. O objetivo deste trabalho é trazer à discussão a existência de pessoas que destoam dessa regra e desejam a adoção tardia, além de investigar o papel exercido pela mídia, no sentido de informar o público a respeito do tema. Com a análise de conteúdo de revistas de circulação nacional, constata-se que o espaço dedicado ao assunto depende muito de questões como a segmentação e o público alvo, apresentando uma cobertura que busca tocar o leitor emocionalmente, como no caso da Revista Crescer, ou essencialmente informativa, nos veículos de interesse geral, como Carta Capital, Veja e Isto é.


Palavras-chave


Adoção tardia; mídia; jornalismo; análise de conteúdo.

Texto completo: PDF