Sistema de Conferências da SBPJor, 7º Encontro do JPJor

Tamanho da fonte: 
O que os jornalistas têm a dizer sobre a cobertura da violência de gênero? Análise das falas de profissionais sobre a produção de notícias de crimes contra as vidas das mulheres em Minas Gerais
Pedro Rafael Galvão Prata, Deize Ferreira Paiva Lopes, Carlos Alberto de Carvalho

Última alteração: 2017-09-09

Resumo


Este artigo apresenta a análise das falas de seis jornalistas da Grande Belo Horizonte, em entrevistas sobre a cobertura jornalística dos crimes de violência de gênero no estado de Minas Gerais. A escolha dos profissionais foi feita pela participação em matérias com essa temática. O objetivo da análise foi de verificar quais elementos surgiriam sobre esse problema, pungente na sociedade mineira, do viés da prática jornalística, além de relatos e experiências que acabam por extrapolar o exercício da profissão. Optou-se pela criação de quatro categorias de análise para tipificar argumentos recorrentes ou que até se opõem, que fogem ou não do senso comum sobre a violência de gênero. Percebeu-se, na amostra, que os jornalistas, majoritariamente, se abstêm da empatia para com as vítimas e estabelecem um distanciamento tomado como característica necessária para o exercício da profissão.


Palavras-chave


violência de gênero; jornalistas; cobertura jornalística

Texto completo: PDF